sexta-feira, 28 de dezembro de 2007

Pensar no presente

Jahh eraaa.. kem viu, viu, kem num viu, num viu... O ultimo post foi deletadooo... Bola pra frente...o negocio eh pensar no presente...

segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Consolação...

Já é quase Natal, era pra eu ter postado bem antes, mas a preguiça me impediu...

Meio q perdeu o clima do texto, até pq o clima agora é bem outro, estou numa fase tensa, bom, mas pelo menos, alguma coisa ainda sobra, o clima de reflexão do Natal, talvez a única coisa q se mantenha no clima do texto...

O texto abaixo foi escrito no dia 11 de dezembro.


Postadu na terça feira

De “folga” hj, resolvi dar uma passeada no Centro, pra q pudesse ganhar passagem para ir ver minha namo, e então peguei um bus q ia ali pela Consolação... Busólogo do jeito q eu sou, keria pegar um q tivesse akele tal motor eletrônico q foi o primeiro do Brasil, ele está entrando em extinção no Brasil, já está velho, e em SP ainda há alguns últimos sobreviventes, principalmente na Zona Oeste.

E aí qd passei na Consolação me veio a lembrança da primeira vez q vim pra SP. Foi justamente lá. Há mts anos atrás, foi a primeira avenida q andei em SP. Fiz akele caminho q todo mundo faz qd chega aki. Só lembro vagamente q cheguei nas redondezas da Pç da República e avenidas Ipiranga e São João. Peguei um bus q entrou na Consolação, seguiu pela Rebouças e saiu lá na Faria Lima. Eu havia ido no Iguatemi. Claro, o Iguatemi é o maior shopping de POA, e eu keria ver como era o daki, pq era o único q conhecia rsrsrs, e me assustei pq era totalmente diferente, menor e cheio de executivos, um shopping mais de negócios do q de lazer, coisa q eu nunk tinha visto. Aí voltei pelo mesmo trajeto. Naquela época, os bus eram mais velhos, o trânsito um pouco menor para os carros, mas pior para os bus, pq não havia corredor. Não tinha noção de q a Faria Lima e a Rebouças eram ruas importantíssimas em SP, nem fiz a relação com os nomes do Banco Imobiliário, e passei por akelas imensas ruas do Centro como se fossem meras ruas comuns. O q mais me marcou, além dos prédios altos, era o canteiro no meio. Hj, qd passei por lá, o canteiro me chamou a atenção, foi a primeira coisa q me marcou qd chegou em SP nakele trajeto, é um canteiro bastante denso, q percorre o trajeto do início ao fim, com a mesma altura. Uma chama verde em meio a uma selva de concreto, e impressionante como aquilo eh marcante.

Curioso foi lembrar q na época, foi a sensação de descobrir uma civilização grande longe de POA, pq na vida inteira me acostumei q, ao sair de POA, tinha q ver sempre algo menor, com pessoas com mentalidades de lugares pequenos, considerando akela imensa área em torno d POA q se vew dominada, justamente por não ter nada maior, q vai desde todo o interior do RS, passando pelo estado de SC, ateh parte do PR e países vizinhos. E na Consolação, foi a primeira vez q tive a sensação de estar numa avenida normal, movimentada, dentro de um centro urbano maior, e q não era POA. Finalmente, tinha descoberto, e estava em SP.

Curioso mais ainda eh q hj, apesar da Consolação e região ser uma dos lugares mais importantes de SP, é um lugar praticamente esquecido pelo povo, povo mesmo, q normalmente passa pelas regiões periféricas do Centro, a exceção do Centro mesmo (Sé e República)

sexta-feira, 7 de dezembro de 2007

Dezembro

Era pra eu ter postado a mt tmpo, mas eu não tenho vontade de postar. Meio q enchi o saco de blog, até pq ngm mais lê blogs e td mundo hj em dia tah no Orkut. Triste mesmo eh o meu Orkut, q continua vazio rsssss acho q ele num tem solução...rsss e pior eh q não sei mais o q fazer nele... As minhas comunidades começaram a encher automaticamente, ainda bem, pq cansei mesmo de fazer propaganda, eu fazia propaganda aliando as informações contidas nos perfis para as minhas comunidades, assim eu conseguia achar graça. E nas comus de gordinhas eu fazia propaganda pq eu aproveitava e fuçava os perfis rssssss coisa q agora não tnho vontade de fazer pq tow namorando de novo.

Se acumularam tantos assuntos pra falar, eu deveria ter postado antes, mas não tava com vontade, não conseguia mesmo, e agora eskeci td q ia falar e ateh sobre td q tinha q falar, então vou falar resumidamente do q eu lembro.

Campeonato Brasileiro. Aconteceu td q eu tinha falado, o Palmeiras se fudeu e o Cruzeiro conseguiu se classificar. Eu acertei certinhu, soh q achava q ia dar empate, nossa o Palmeiras perder em casa eh foda, como pode, não merecia ir pra Libertadores mesmo. O Inter perdeu para o Goiás de propósito, como td mundo já sabia, decretando o rebaixamento do Corinthians, foi o típico fato do “aki se faz, aki se paga”. O Grêmio ia ganhar do Corinthians, até o Cruzeiro começar a vencer o América, daí sim, os kras passaram a não jogar nada e o jogo ficou uma bosta, uma bosta mesmo, uma bosta completa, dava ateh dó de ver akele jogo.. mas, acabou empatado, e o Grêmio terminou de uma forma meio melancólica e o Corinthians se fudeu.

Camila. Estou namorando com ela de novo, mas apesar de estar bem com ela tb estou mal com ela, ou seja a impressão q dah eh q td q eu kero ter com ela está bem, ao mesmo tmpo q coisas q necessito estão mal, q incrível, não? Rs.... q saco.

Blog. Não sinto mais vontade de postar mesmo. Ultimamente soh conseguia falar de relacionamentos e agora q estou namorando soh tenho da Camila pra falar e sinceramente nem tow a fim de falar. Hum, eu poderia falar de outras coisas tb, como algumas gurias q aparecem ainda tentando falar cmg mas nem keru nada com elas e ontem acho q dispensei a ultima, assim não fica nenhum clima estranho.

Tropa de Elite. Vi o filme, achei bom, mas no fim ficou akele gostinho de “Era só isso?”. Pareceu um filme meio pekeno de tanto q se falou, mas a idéia e o espírito dele são legais, apesar de eu achar q algumas coisas foram mostradas deturpadamente ou de forma injusta. No geral, a idéia do filme se mostrou imparcial, não kerendo dar uma idéia da favela, como “vamos matar, traficar, q eh o certo”, nem kerendo dar uma idéia da elite, do tipow “Ah, eu faço o q eu kero, e tow certo pq tenho grana”. Foram mostradas críticas corretas do tráfico estar errado por se estabelecer e da elite q o financia, sendo a maior responsável por akilo, tb críticas a polícia q aceita se corromper, a sociedade q se isenta, ao governo q não serve pra nada, enfim eh o Brasil.
Fica difícil de eu analisar friamente o filme pq a realidade das favelas, principalmente cariocas, parece fortemente relacionadas com o tráfico, enqt as vilas de POA havia sim uma dominação de pessoas e lugares pelo tráfico, mas isso se confundia com outras kestões, como educação, cultura do povo, problemas familiares e de doenças, outros crimes e principalemente roubo, q lá soava uma coisa tão normal e infiltrada nas pessoas, principalmente pobres, tanto q POA virou líder em roubo e furtos d carros, acima de RIO e SP, fora akeles assaltos a megas lojas, como joalherias caras etc, parecia q akilo sempre soou meio junto com o tráfico. Já no Rio, parece q eh soh o trafico q impera e q se akilo não existisse, a violência iria acabar. Aki no Rio-SP parece uma solução mais fácil, pq a natureza do povo não é violento, as pessoas são jogadas pelo sistema, em vez de nascer com ele.
Isso me lembrou alguns baile funks q fui aki em SP, estavam lotados e não havia praticamente seguranças, e não acontecia nada, ngm brigava nem se matava lah dentro, enqt em POA pra lugares pekenos tinham 10, 12 seguranças e mesmo assim aconteciam brigas sendo q se não houvesse segurança se estabelecia o caus total.

Genética. Minha mãe veio com um papo de q o povo gaúcho era o mais europeu e q aki em SP existia forte concentração de indígena nos genes das pessoas, ela tinha lido isto na net. Eu só ri, pq tinha ctz de q no RS eh soh olhar pras pessoas q dá pra ver como lá tem uma descendência mt forte dos índios, dah pra ver pela cor, cabelos, nomes, bairros e etc das pessoas e lugares... Aí tah aí a minha constatação:

”Documentário resgata os Minuanos
Se as pesquisas sobre o genoma dos gaúchos revelam que cerca de 50% do DNA das famílias do pampa são da etnia Minuano/Charrua, o abandono dos sítios arqueológicos e o descaso com as pesquisas históricas demonstram que os descendentes dessas tribos, hoje boa parte não só da população do Rio Grande do Sul, mas do Brasil colonizado por este povo, insistem em esquecer essa origem indígena.
O documentário “Os Minuanos”, que o jornalista e escritor gaúcho radicado em São Paulo Delmar Marques estréia no próximo sábado, dia 13, as 13h30, no Centro Cultural Santander, como parte da programação da Feira do Livro de Porto Alegre, procura promover a memória dessa parcela desprezada do passado dos gaúchos que, permanece, porém, no sangue de muitos dos atuais habitantes do país.
Resultado de sua peregrinação, liderando um grupo de jornalistas, arqueólogos e historiadores brasileiros e uruguaios, aos cerritos de Santa Vitória do Palmar e Chuí, realizada em julho último, quando foi registrada a destruição desses importantes sítios arqueológicos dos Minuanos, o documentário conta com importantes depoimentos de acadêmicos e pesquisadores que, a duras penas, não deixam esquecer que a formação do povo gaúcho e, conseqüentemente, do brasileiro, conta também com importante participação indígena. Gravado em DVD Digital, essa produção de 28,7 minutos de duração deverá ser distribuída, futuramente, na rede escolar, além de participar de outros eventos como feiras e mostras de cinema.
Às 15 horas, Marques autografará seu último livro “Os Minuanos – O Resgate das Índias Sagradas” (Editora Paralelo 30, 316 páginas), na feira, um romance em que utiliza dados de suas pesquisas históricas, antropológicas e arqueológicas realizadas no Brasil, Uruguai, Argentina, Espanha e Portugal para reconstruir o ambiente em que os Minuanos viviam no Extremo Sul do Rio Grande. “A tribo matricial e xamânica, as viejas brujas é que a comandavam, através de seus conselhos, foi dizimada pelos colonizadores machistas e patriarcais que as viam como obstinadas opositoras, por defenderem os princípios do feminino, do modelo social que traziam da Europa medieval”, afirma o autor.
Do último massacre, em 1831, quando mais de 200 guerreiros foram degolados em Salsipuedes, no Uruguai, sobraram menos de 30 índios que desapareceram em meio as tropas farroupilhas, lutando pela independência do Rio Grande. Suas mulheres índias foram leiloadas entre os fazendeiros, dando início a grande maioria das mais tradicionais famílias da fronteira gaúcha.
Muito da cultura dos Minuanos foi absorvida pelos gaúchos, desde as contribuições para a medicina com suas ervas, ungüentos e poções, as boleadeiras (foto) – sendo que algumas encontradas nos sítios arqueológicos têm datação superior a quatro mil anos – e as indumentárias de couro, os assados no espeto e, principalmente, a hospitalidade de comunidades que cultuavam a generosidade e a paz. “As índias, senhoras da vida e da morte, eram temidas pelas demais tribos que não invadiam seu território, uma faixa litorânea que se estendia do Camaquã até as proximidades de Montevidéu”, afirma Marques. Suas benzeduras e passes, alguns métodos curadores, como o lenço com cinzas quentes em volta do pescoço para os males da garganta, ainda sobrevivem, segundo o autor, nas práticas de curandeiras do pampa.”


Link: http://www.jornalja.com.br/especial_detalhe.php?id=160&cat=6

Tah aí, pior q ateh eu entro nessa estatística aí...rs

Suplex. Ainda não tenho ctz se suplex eh chamado de “calça bailarina” em SP, ou se de fato não existe isso aki. Enqt isso, vou achando curiosidades por ai. Achei um kra q fez um perfil no Orkut soh pra falar de gurias q usam suplex, como pode? Rs Olha aí a descrição:

”Aqui no Rio Grande do Sul de uns anos pra cá as gurias com idade em média entre10 e 25 anos começaram a usar roupas de um tecido chamado SUPLEX, é um tecido fantástico, marca o corpo perfeitamente, muito melhor por exemplo que a conhecida lycra. Alguns dizem inclusive que o suplex faz milagre.É interessante que olhando o orkut das gurias de outros estados, é dificil encontrar fotos delas usando esse tipo de tecido, normalmente elas usam calça jeans, lycra, mini saia, etc. O fênomeno suplex é particularmente aqui do sul, algumas de Santa Catarina até usam, porém em quantidade, nem se compara com o Rio grande.Inicialmente as gatinhas começaram a usar as calças de suplex do tipo boca de sino, algumas continuam usando hoje-em-dia, mas agora a que é mais usada é a Leg de suplex. Outra invensão fantástica, pois as gurias usam com sandália ou tamanco realçando ainda mais o corpo. Um detalhe interessante é o fato da calça de suplex permitir que se enxergue o tamanho da calcinha que a menina está usando (a não ser aquelas que usam só um fio) independente se a cor da calça é preta, vermelha, azul marinho, sempre da pra ver a calcinha, pelo fato do tecido ficar bem justo ao corpo. Nos shoppings de Porto Alegre é comum ver as gatinhas vestidas assim principalmente nos finais de semana. Calça de suplex puxada beeeeeemmm pra cima: esse tecido perfeito, comparado com o jeans é muito mais macio ou maleável, sendo assim algumas gatinhas pra marcar ainda mais o corpo começaram a puxar a calça beeeeemmm pra cima, fazendo com que a calça ''entre'' no bumbum (em algumas entra até na frente) deixando com um visual espetacular.Então só nos resta agradecer ao inventor desse tecido sem igual e aproveitar as gatinhas safadinhas que desfilam por aí usando as maravilhosas calças de suplex”

Eu heim, rs... Tem cada uma.... Pow eu keria ver a Camila de suplex, mas parece q isso soh em sonho =( rssssssssss


Ah, antes de ir ao ar, soh mais uma coisa. Os últimos comentários pareciam ter sido deixados pela mesma epssoa uhasduashduasdhuas... serah? rs Ou seriam 2 pessoas? Bom, tanto faz, mas eu gostei deles hehehhe

sábado, 1 de dezembro de 2007

Posts "Tranqüilos"?

A comunidade “Entrega Inter” q anteontem tinha 300 membros subiu ontem para 1500 membros. Acho q a previsão q fizeram de q a comu ateh o domingo chegaria aos mais de 5000 membros vai se concretizar...

Eu sinceramente nem sei pra quem eu escrevo isso td, pq pelo contador, apenas uma pessoa por dia acessa meu blog. Parece absurdo, mas eh verdade. Meu blog antigo q foi trancado hj ainda tm mais visitantes do q este atual. Aliás, o template antigo não tinha nada a ver com esse, mas é de propósito mesmo, pq eu keria desvincular akela imagem q eu tinha antes pra ver como seria uma entrada em SP mais tranquila, por ironia do destino eu soh acabei conseguindo as coisas mais fortes nessa nova fase justamente qd eu entrei nakele meu jeito antigo (com força e raiva), em vez da tal forma tranqüila q eu kis experimentar.

Falando nisso, acho q não vai ser necessário um BP, pelo menos por enquanto.

Kd os visitantes? Tow sentindo falta. As vezes da vontade de chamar o pessoal dos perfis antigos, blogs antigos e toda akela “polêmica” toda q fazia parte de mim, mas eu insisto em permanecer quase q alienado de td aki em SP e experimentando um gosto do abismo. E meu blog reflete isso. Esse perfil vazio, com poucas informações, posts mais “tranqüilos” e quase ngm visitando eh a prova disso.

...

Vou mudar um poko a conduta deste post, aproveitando o assunto q entrei ali em cima. Ultimamente ando com mania de ver posts antigos meus, ateh pra ter uma noção da tristeza q eu já senti e da podreira q jah se resumiu situações passadas q até hj insistem em aparecer de vez em quando.

Andei pensando q eu poderia participar do programa da Luciana Jimenez. É serio! Eu sei q sim. Sei pq já vi cada reportagem lah, de assuntos polêmicos, onde as pessoas tinham mt menos informações e habilidade de se expressar e expor os seus problemas do q eu. Eu cheguei num ponto na net q acumulei anos e anos de informações, posts, idéias, contatos e situações q foram se registrando e formaram um acervo sobre a discriminação q eu sofri. Me tornei como um representante. Eu já fui convidado para participar de reportagens de jornais locais, mas eu não kis pq não keria expor minha imagem, pq aquilo só iria me prejudicar. Mas, se eu mandasse um relato do meu acervo a Rede TV, eu sei q seria convidado para participar do programa. Ainda mais naquele programa q vive dando voz a assuntos polêmicos e pouco discutidos por serem meio q “proibidos”... Eu iria falar de algo q NUNKA foi falado abertamente em lugar nenhum.

Mas, eu não quero. E nem posso mais. Apesar de ainda sofrer com td isso, as coisas q compensam acabam anulando o sofrimento. E inclusive as reclamações. Eu não poderia mais representar minha “classe” em um programa reclamando de sofrer por ngm gostar de mim do jeito q eu sou, pq eu tenho atualmente uma guria kerendo namorar cmg, em uma situação em q estamos praticamente acertados (de novo), uma outra q me procura pq diz estar apaixonada por mim (mesmo sendo vagabunda) e no finde passado uma patyzinha ficou cmg numa festa dizendo q eu era lindo. São 3 casos, num universo de milhares e ateh milhões de pessoas q me acham horrível, mas elas existem e o carinho q me dão compensa isso, e nem me dá argumento pra reclamar como antes eu tinha q fazer.

Mesmo na fase antiga, eu não podia reclamar mais, pq mesmo não tendo nenhuma guria q kizesse algo serio cmg, tinha um monte a fim de me bjar, e eu acabava pegando um monte (um monte, em relação a minha situação), de td q eh tipow, de um jeito ou de outro...

Olha aí o texto q estava lendo, escrito antes de 2007, q me motivou a escrever este post:

” As vezes eu sinto pena de kras mto feios q existem por ai.. São sempre isolados, passam a vida inteira sem mulher, sofrem piadas o tempo todo das mulheres bonitas e feias, e são humilhados pelos kras q podem pega-las Ex.: no meu serviço tem um faxineiro.. ele mora lah.. ele mora sozinho.. sem ngm, ele não tem mulher, filhos, nada.. Todos abandonaram ele.. Certamente, nunk deve ter aparecido uma mulher na vida dele, nem munk vai aparecer... A vida dele eh humilhante assim.. Eu as vezes sinto pena dele, mas perai, eu sou identico a ele,.. Pow, a minha realidade eh exatamente assim.. e sei q vai ser assim pro resto da vida... e sei q toda pessoa q me vew por ai sabe q eh assim, pois basta olhar pra mim e pra a minha feiúra monumental... Pro resto da minha vida vai ser assim, isso eh triste, mt triste. Uma coisa q eu nunk entendi: pq os homens mt feios não tem voz? Parece q aceitam a isolação, não gritam, não aparecem, não fazem a sociedade engolir a tragédia q cria à eles (ou melhor, nós). Eu acho q sou o único q faço isso.. Sou como uma voz solitária representando a nação dos mt feios.. Mas, a maioria nem tah ai pra isso, pq acham q devem sofrer, por ser inferiores.... As mulheres feias conseguem td, pq elas tem atributos q os homens não tem... Amigas, manhas, espertezas... Mas, a maior de todas estah no meio das suas pernas... As mulheres tem o sexo... Elas tem isso a oferecer... Por mais feias q sejam, elas podem pegar homens em troka de sexo, ou mesmo em troka da possibilidade do acontecimento.. Os homens? Coitados, eles não tem nada.. O maximo q podem ter eh o dinheiro.. Q eh falso, pq o dinheiro não faz parte de nós.. A vagina faz parte da mulher, eh dela.. O dinheiro não eh nosso, ele eh exterior.. Ele não faz parte de mim. Poucas vezes vi algum "mto feio" na net, pra falar a verdade nem lembro.. Os mt feios não aparecem em evidencia. Sempre são excluídos da sociedade, condenados ao isolamento, viram mendigos, bêbados perambulantes das ruas, geralmente são abandoados por todos e moram sozinhos, enfim td q se identifica cmg Encontrar com algum.. Vejo alguns à noite... vejo no centro... vejo no entorno de lugares depressivos.. Vejo as vezes ao lado dos sangues derramados nas ruas, em suicídios... Vejo em parkes, pracinhas, sozinhos, sendo ridicularizados por mulheres e homens q estão lah. As vezes, vejo no espelho tb... Ou mesmo no semblante das pessoas q me excluem e riem de mim.. Nas sobrancelhas espremidas, pelo desgosto e nojo ao me olhar Apesar de vê-los, eles não existem.. Eles imaginam q devem sofrer, q eles são os culpados por existirem.. Apenas eu tenho noção de q não sou culpado de nada. Só vejo a minha voz solitária em meio a multidão de pessoas bonitas tentando me excluir e mostrar q o mundo foi feito para elas, e não para mim. Ateh qd terei voz? Serah q erro em ter nascido horrível? Ou serah q erro em ter nascido homem?”

Impressionante não? Quase chocante, com a minha realidade atual. Eu chego a pensar q o q vivo hj eh quase o paraíso comparado com dias q jah vivi. Não eh por menos. Na verdade, de tanto q andei lendo posts antigos nesses dias, notei q eu soh comecei a mudar meu humor e começar a me sentir “satisfeito” depois do primeiro dia em q bjei uma guria numa festa, q foi logo depois deste post, em janeiro de 2007. Eu passei a sentir como se tivesse conkistado algo irreversível, onde td q pudesse acontecer de ruim, não iria ultrapassar o meu feito, e isto ateh me deu forças pra ir mais adiante. O outro acontecimento q mudou drasticamente a minha vida foi qd fikei com uma guria no Tere, 3 meses depois. Ali foi como o segundo marco, como se fosse a firmação de uma marca q jah havia sido demarcada, só faltava então, a fixação dela na terra.
E o q levou a fixar esse marco na terra para a vida toda foi a repetição de fatos parecidos nos meses seguintes. Os 2 fatos foram os q fizeram o marco na minha vida, mas esse marco só foi fixado com a repetição de outras conkistas nos meses seguintes. Isolados, eles não conseguiriam ser fixados. Porém, com a sucedência de conkistas, eles foram fixados e se tornaram marcos isolados na minha vida, q dividiram ela em “antes-deles” e “depois-deles”.

Isso eh visível observando os pots no meu blog antes e depois destes 2 marcos, é bastante claro a minha mudança de humor e de satisfação com as situações e com as pessoas.

E tenho a ctz de repetir o q sempre achei. É perfeitamente lógico o meu humor antes e depois dos marcos.


PS: tanto falei, q acabei fazendo um post conciliando tranqüilidade com polêmica rsssssss O blog estava tão calmo q era praticamente virgem rsrsrsrs Digamos q hj eu batizei ele... hehe